Publicado em 24 de janeiro de 2013

Ex-deputado estadual José Bestene é sequestrado após ter casa invadida por assaltantes

Três homens encapuzados invadiram na manhã desta quinta-feira, por volta das 6 horas, à residência do ex-deputado estadual José Bestene, na travessa Amapá, no bairro Cerâmica. Segundo a polícia, os homens entraram na casa enquanto a família dormia. Dentro da residência, os criminosos tocaram o terror em busca de um suposto cofre. Outro bandido estava de vigia do lado de fora da residência.

No momento do assalto, sete pessoas estavam na casa, inclusive quatro crianças. Com o auxilio da esposa e da empregada, que conseguiram se trancar em um dos cômodos da casa, a polícia foi acionada. Na mira dos criminosos, todos armados e com bastante munição, Bestene foi obrigado a entrar em seu próprio veículo, uma caminhonete L200 de cor preta, para ser usado como refém na fuga.

Houve perseguição, e troca de tiros com a polícia, que ao perceber que Bestene estava no interior do veículo foi obrigada a não mais atirar para impedir a fuga dos assaltantes. Por estarem em um veículo traçado, os bandidos conseguirem se distanciar da viatura policial dentro do ramal da Judia.

Ao chegarem próximos a uma ponte de madeira, os criminosos abandonaram a caminhonete com o ex-deputado estadual, que apesar do estado de choque, não foi ferido pelo bando. Quando os policiais chegaram ao local, tiveram a informação que os quatro assaltantes se embrenharam na mata fechada.

José Bestene foi encaminhado à Delegacia de Divisão de Investigações Criminais da Polícia Civil (DIC), onde registrou a ocorrência ao delegado Karlesso Nespoli, da Delegacia Antiassalto (DAPC).

 

“São momentos como estes que vemos como somos impotentes diante da bandidagem que está tomando conta da nossa cidade. A violência precisa ser contida o mais rápido possível”, desabafa Bestene, que deixou a delegacia após prestar depoimento.

 
Até o momento não houve informações sobre a prisão dos criminosos, ou mesmo a identificação dos mesmos. Uma equipe de investigadores da DIC está trabalhando no caso.

 

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)