Homem que matou esposa na Vila Campinas é condenado a mais de 14 anos de reclusão

Na primeira sessão do Tribunal do Júri da Comarca de Plácido de Castro de 2019 estava pautado um feminicídio, na qual o julgamento durou mais de 10 horas e resultou na condenação de Marcos Souza Santos. a 14 anos, sete meses de reclusão, em regime inicial fechado.

O réu estava recolhido na Unidade Prisional de Senador Guiomard, desde junho de 2018, acusado de ter assassinado a esposa Jucicleide Miranda Rodriuges. O crime aconteceu em Junho do ano passado. O acusado  tem 35 anos de idade e o casamento durou 12 anos. Segundo os autos, o relacionamento foi marcado por várias discussões, muitas dessas em que ambos estavam em estado de embriaguez.

As situações de violência doméstica levaram a polícia para atendimento na residência mais de uma vez, contudo não se concluíram com a formalização de queixas. No dia dos fatos, ambos tinham se embriagado e a última briga ocorreu na casa da sogra da vítima, no quarto do casal, onde o homem desferiu golpes com arma branca.

De acordo com os dados periciais, havia um corte no pescoço e várias lesões na mão da vítima, que estão relacionadas à tentativa da mulher de se defender dos golpes. Conforme os autos, a mãe do réu ouviu a briga e percebeu que em seguida seu filho saiu de casa, restando apenas o silêncio no quarto trancado. Quando a porta foi arrombada, a nora foi encontrada morta.

M.S.S. foi preso em flagrante na Vila Campinas e a própria mãe do acusado levou a peixeira utilizada no delito à delegacia no dia seguinte. Ele confessou o crime, disse que estava cansado de ser humilhado e que “a raiva o cegou no momento”.

O Conselho de Sentença considerou como agravantes do crime a motivação fútil e o uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Ainda da decisão, o réu não poderá recorrer em liberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *