MJ treina policiais do AC e RS para patrulhar fronteira

A Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) inicia, nesta terça-feira (16), a 24ª e a 25ª edições do Curso de Unidades Especializadas de Fronteira, no Acre e Rio Grande do Sul. Com essas turmas, serão mais de 850 policiais civis e militares capacitados pelo governo federal em 2013 e 2014 para patrulhar a faixa de fronteira com 10 países da América do Sul.

Os treinamentos vão até o dia 25 de setembro, em Cruzeiro do Sul (AC), próximo à fronteira com o Peru e a 631 km quilômetros de Rio Branco; e Uruguaiana (RS), localizada no limite oeste do Brasil com a Argentina e distante 649 quilômetros de Porto Alegre. Nessas duas edições participam 72 policiais militares e policiais civis estaduais.

A 26ª edição acontecerá de 22 de setembro a 1º de outubro, em Nova Mamoré (RO), com previsão de 40 alunos. Depois acontece a 23ª edição, que foi adiada para o período de 13 a 22 de outubro de 2014, em Bonfim (RR).

Já foram realizadas cinco edições do curso de Unidades Especializadas de Fronteira para multiplicadores – profissionais qualificados para atuar também como instrutores em seus estados. Dentro desse quantitativo, além de policiais civis e militares estaduais, o curso já formou policiais federais e rodoviários federais convidados.

Plano

Segundo a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, as instruções do curso são promovidas pelo programa Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron), do Ministério da Justiça, que integra o Plano Nacional de Fronteiras do governo federal. “Entre outras ações, a Enafron capacita forças policiais que atuam na região de fronteira do Brasil com outros 10 países da América do Sul, numa extensão de 16,8 mil quilômetros”, diz Regina.

Os profissionais de segurança pública treinados trabalham em equipes criadas para patrulhar as regiões limítrofes, sejam elas urbanas, de selva ou de rio. “Eles monitoram nossas faixas de fronteira, numa parceria das instituições de segurança da União e dos estados aos quais são vinculados”, destaca Regina Miki.

Todas as edições do curso ocorrem em parceria com as instituições de segurança pública federais e estaduais em diversas localidades, com turmas selecionadas e formadas por policiais experientes. “As equipes são treinadas para prevenir e reprimir os delitos típicos da faixa de fronteira, como o tráfico de drogas e de armas”, explica a secretária.

Ao todo são 16 disciplinas durante o curso de duas semanas. As instruções incluem disciplinas Reconhecimento e Identificação de Drogas; Procedimentos Frente a Ocorrências Fronteiriças; Identificação de Artefatos Explosivos; Busca Veicular; e Táticas para Confrontos Armados.

Toda a capacitação é supervisionada pelo Departamento de Pesquisa e Análise de Informação e Desenvolvimento de Pessoal em Segurança Pública (Depaid), da Senasp/MJ. “Buscamos levar o curso ao máximo de localidades onde os estados mantém unidades especializadas para o policiamento em região de fronteira”, reforça Regina Miki.

Já receberam uma edição do curso para operadores as cidades de Guajara-Mirim (RO), Dourados (MS), Vilhena (RO), São Miguel do Guaporé (RO), Santana do Livramento (RS), Jaguarão (RS), Laranjal do Jari (AP), Santa Rosa (RS), Rolim de Moura (RO), São Luiz Gonzaga (RS), Costa Marques (RO), Chuí (RS), Brasiléia (AC), Pacaraima (RR),Buritis (RO) e Abaetetuba (PA). Porto Esperidião (MT) recebeu duas edições, e Marechal Cândido Rondon (PR) teve três cursos.

Além de capacitar operadores, o Curso de Unidades Especializadas de Fronteira também forma multiplicadores – profissionais que são capacitados para serem instrutores – que são qualificados durante edições com o dobro da carga horária de aulas oferecidas a operadores. Foram cinco edições, em Marechal Cândido Rondon (PR), Dourados (MS), Porto Velho (RO), Oiapoque (AP) e Santarém (PA).

Assessoria MJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *