Publicado em 4 de dezembro de 2012

Outra vítima reconhece funcionário do TJ preso no Fórum acusado de abusar de criança

Um dia depois da prisão em flagrante do funcionário do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, Joaquim Botelho Campos Filho, de 52 anos, acusado de estupro de vulnerável, crime praticado dentro do Fórum Barão do Rio Branco, uma mulher procurou a polícia e disse que a filha de 10 anos de idade reconheceu o homem, que também tinha a aliciado no dia 26 de novembro.

De acordo com a mãe, a criança assistia o telejornal Acre Urgente, exibido na TV 5 (emissora afiliada à Rede Bandeirantes), quando reconheceu Botelho apontando pela menor como sendo o homem que há poucos dias teria tentado beijá-la à força dentro de um estabelecimento comercial no Novo Mercado Velho.

Indignada, ao cruzar com o suspeito no Núcleo de Atendimento à Criança e ao Adolescente (Nucria), a mãe da menina avançou no acusado e começou a estapeá-lo, sendo acalmada por policiais. A menina acompanhou a mãe na delegacia e afirmou ter sido molestada por Joaquim Botelho Campos Filho. De cabeça baixa, a criança pediu que o ‘homem mau’ ficasse preso por muitos anos.

Pedido de prisão reforçado pela mãe da criança, que preferiu não ter o nome divulgado. “Um homem muito educado, que mostrava interesse em querer ajudar. Tanto que saiu do Fórum e foi até o Novo Mercado Velho só para acompanhar a mim e minha filha. Ele queria ganhar tempo para se aproximar da criança enquanto me distraia. Sei que a Justiça muitas vezes não funciona como deveria, mas peço a Deus que esse monstro fique preso por muito tempo”, diz a mãe da vítima.

Para a delegada do Nucria Elenice Frez, que acredita que podem existir mais vítimas do pedófilo, é importante que as mães compareçam à delegacia para denunciá-lo. Joaquim Botelho Campos Filho, que já se encontra na Penitenciária Francisco de Oliveira Conde foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável, pena que pode variar de 8 a 15 anos de prisão.

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)