Polícia Civil deflagra “operação patriarcas” e prende 17 por tráfico e associação

A Polícia Civil do Estado do Acre, através da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), deflagrou na madrugada desta terça feira, 26 de novembro, a “Operação Patriarcas”, visando desarticular uma rede de traficantes de maconha. As investigações iniciaram no início do ano, e perduraram por seis meses.

Durante esse período foram presas 17 pessoas em flagrante e aproximadamente 250 kg de drogas, haxixe, maconha e cocaína. Os presos, segundo a investigação, fornecedores (Mato Grosso do Sul), aliciadores e distribuidores de entorpecente (Rio Branco).

Nesta manhã foram cumpridos 38 mandados de prisão, expedidos contra dezenove pessoas que financiavam o tráfico, gente que promovia mal máximo a sociedade acreana. Entre os presos estão Jardes Soares e Washington Muniz, chefes da associação. Os dois eram responsáveis pelo gerenciamento das ações e do dinheiro do grupo investigado.

“Três traficantes foram presos em Campo Grande/MS, que seriam os responsáveis pelo envio da maconha, daquele estado, para o Acre. O trio comprava a droga de agentes do tráfico com atuação na fronteira do Brasil com Paraguai, para depois revender para acreanos”, destacou o delegado-geral Emylson Farias.

Conforme o delegado-geral, a droga era transportada por “mulas”, mulheres e caminhoneiros, recrutados pelo “braço” do tráfico no Acre. Durante as investigações foram presos em flagrante quatro homens e cinco mulheres por realizar este “serviço”, sendo que uma delas passou a integrar o grupo de forma permanente, motivo pelo qual também foi expedido um mandado contra ela por associação para o tráfico de drogas.

Parte dos traficantes que integravam a associação já estavam reclusos, sendo que alguns foram presos durante as investigações. Mesmo no cárcere, eles, de dentro da penitenciária praticavam o crime através de telefones e de visitantes. “Eles formavam uma espécie de consórcios para a compra de maconha no Mato Grosso do Sul”, observa o delegado Pedro Paulo Buzolin, titular da DRE.

Ressalta-se que dois assaltantes presos em flagrante delito, durante um roubo praticado contra a Lotérica Floresta e um homicida, o qual executou uma pessoa na disputa pelo tráfico de drogas fazem parte da rede de traficantes. Este fato demonstra a ligação entre o tráfico de drogas e outros crimes registrados em Rio Branco.

Os presos são: Jardes Soares de Lima, Wasington Muniz Ripardo e Elison de Souza Lustanal, todos residentes em Rio Branco. Na mesma operação a polícia prendeu no Mato Grosso Maciel Augusto da Silva, Orivaldo Miguel Rodrigues e Jandson de Melo Lima (fornecedores de maconha).

Outras 12 pessoas foram presas no presídio do Estado. Trata-se de Antonio Carlos Silva da Costa, Jarbas Soares de Lima, Klouso Artimini de Souza Barata, Ilson Olímpio de Araújo Martins, Anilton Leite Monteiro, Jefesson Mota da Silva, Manoel Moreira da Silva, Raimundo Pimentel Soares, Edson de Souza Lustanal, Edvandro Alves Cvalcante, Jader Pinto Nogueira e Celiane Gomes de Oliveira. Wquelison Gomes da Silva se encontra foragido, pode ser preso qualquer momento.

 

(Assessoria PC)WQUELISSON GOMES DA SILVA.. FORAGIDOSAM_0364 SAM_0363 SAM_0362

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *