Publicado em 9 de abril de 2015

Polícia Civil prende acusada de dopar marido para matá-lo a tiro

IMG-20150409-WA0015A Polícia Civil do Acre prendeu na manhã desta quinta-feira, 09, no Conjunto Tucumã, Verônica Campagnolo, 50, procurada pela polícia de Santa Catariana por homicídio. Ela estava no Acre há mais de uma década, vivia maritalmente com um caminhoneiro, imaginado está imune às pendengas com a justiça.

A investigação que localizou Verônica foi comandada pelo delegado Roberth Alencar, Diretor do Departamento Técnico Policial da Polícia Civil. Alencar ressalta a integração e eficiência dos departamentos de inteligência da Policial Civil de Santa Catarina e do Acre, que possibilitou o sucesso da diligência. “No Acre a polícia sempre vai estar cautelosa a foragidos de todo o Brasil”, destaca.

BARBÁRIE – Segundo o apuratório da polícia, no dia 15 de maio do ano de 1997, pelo período da manhã, na linha São Lourenço, Município de Jaborá/SC Verônica Campagnolo, com a ajuda de um terceiro colaborador não identificado, agindo de maneira premeditada, dificultando a defesa do ofendido e por motivo torpe, munida de um rifle, calibre 22, marca CBC, nº 56.493, desferiu um disparo contra a cabeça da vítima Ademar Campagnolo, seu marido, causando-lhe a morte.

De acordo com a investigação, Verônica, agiu com a intenção vil e repugnante de ficar desempecida das obrigações matrimoniais, livre para ostensivamente assumir outros relacionamentos extraconjugais. Consta nos autos que, premeditadamente, em seu planejamento homicida, no dia 13 de maio de 1997, ela adquiriu com uma mulher identificada por Almerinda Maria Parisoto Cadare 10 (dez) comprimidos de Lexotan 6 mg.

O ASSASSINATO – No dia do crime, a acusada aplicou vários comprimidos de Lexotan no esposo, causando sonolência e tonteira, possivelmente com o intuito de dificultar qualquer reação por parte da vítima, que foi conduzida até a cama do casal.

Ainda conforme os autos, objetivando dissimular a autoria criminosa, Verônica, dirigiu-se com os filhos para o trabalho cotidiano da roça. Todavia, em um determinado momento, após separar-se de seus filhos, que continuaram em direção ao pasto, ela retornou a sua residência, onde, com a ajuda de um de seus pretendentes, covardemente, desferiu um disparo de arma de fogo contra a cabeça do marido, que morreu instantaneamente.

Assessoria

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)