Publicado em 11 de janeiro de 2013

Polícia Civil prende quadrilha especializada em roubar casas

Uma ação bem articulada da Polícia Civil de Cruzeiro do Sul e da Delegacia Itinerante, em Rio Branco, culminou na prisão de quatro pessoas especializadas em roubo de joias e no indiciamento do joalheiro Bonabyuy Aranha, 43, por receptação.

 

Segundo a investigação do delegado Elton Futigami (Regional do Juruá), no dia 3 deste mês, o bando liderado por Rogério Ferreira Lima, 21, (evadido do sistema prisional do Estado) por furtar uma casa lotérica em Rio Branco, aplicou uma sequência de furtos em residências de alto padrão nos bairros: João Alves, Cohab e Artur Maia.

 

Usando arma de fogo, os acusados entraram na casa do vice-prefeito da cidade de Cruzeiro do Sul, de uma bancária, do ex-prefeito de Marechal Thaumaturgo e de um médico pediatra. Os criminosos subtraíram joias diversas, sendo grande parte em ouro.

 

O trabalho rápido do delegado Elton Futigami e de sua equipe, localizou José Cleilton de Lima, 21 e José Zilvenildo Ferreira de Moraes, de 38 anos. Com os dois foram apreendidos computadores portáteis e televisores, furtados.

 

Durante a investigação a polícia descobriu que o bando se dividiu em dois, parte dos criminosos retornaram para Rio Branco. Foi quando entrou em cena a equipe da Delegacia Itinerante sob o comando do delegado Roberth Alencar.

 

A informação chegou ao início da tarde de quinta-feira, 10, e às 20h do mesmo dia o delegado prendeu Rogério Ferreira e o irmão dele Carlos Alberto de Araújo, 34. Os acusados foram abordados em um lava-jato na estrada do Calafate e trazidos para sede da Itinerante.

 

Na manhã desta sexta-feira, 11, Bonabyuy Aranha foi localizado no Centro da capital e conduzido à especializada, onde confessou que comprou as joias furtadas em Cruzeiro. O joalheiro acabou indiciado e o delegado Elton Futigami ingressou com a representação de prisão do investigado por receptação.

 

Em poder dos larápios a polícia apreendeu uma pistola calibre 32 italiana, várias peças de joias, computador portátil, guitarra, pedal, violão, caixas acústica e monitor de TV, além de mais de R$ 3,7 mil em dinheiro.

 

Os suspeitos tiveram suas prisões comunicadas e serão encaminhados para Cruzeiro do Sul, onde serão apresentados ao delegado Futigami, que preside o inquérito. O delegado Roberth disse também, que parte das joias furtadas pela quadrilha foram vendidas em Tarauacá e as outras peças de maior valor, para Aranha que pagou a quantia de R$ 3,7 mil.

 

“Primeiro quero ressaltar que o mérito na elucidação dos crimes cabe a equipe de investigação da Delegacia Geral de Cruzeiro Do Sul, pelo seu empenho, também devemos mencionar que o apoio do Detran e da Delegacia Itinerante de Rio Branco  foi crucial  para êxito das averiguações, bem como a população que em muitos casos são os olhos da polícia. Por fim, o Ministério Público e o Poder Judiciário”, destacou o delegado Futigami.

Sobre os fatos, conforme Futigami deve-se antemão individualizar a sequência de furtos que ocorrem na primeira semana deste ano, de modo que o furto ocorrido na residência do empresário Adão está sob investigação e que e o mesmo não tem ligação com os demais.

 

Da mesma forma, o furto ocorrido no dia 6 em uma residência no bairro Floresta, cuja maior parte dos objetos foram recuperados pela Polícia Civil, tem-se como suspeito a pessoa de Cleiton, o qual se encontra foragido.

 

Quanto aos três furtos ocorridos no dia 3, nas residências da bancária, do médico pediatra, do ex-prefeito de Thaumaturgo e do vice-prefeito de Cruzeiro do Sul foram todos executados pela quadrilha composta pelos irmãos Rogério e Carlos, juntamente com as pessoas de José Cleilton e José Zilvenildo, todos do município de Mâncio Lima.

 

Na ocasião, os salteadores, utilizaram um veículo Golf prata de propriedade de José Zilvenildo para dar apoio na empreitada criminosa, cujo veículo por sinal encontra-se apreendido. “É importante asseverar ainda que todos os integrantes da quadrilha estão sob custódia da Polícia Civil por força de mandado de prisão preventiva, sendo que dois encontram-se presos na Delegacia Regional e outros dois em Rio Branco”, observou o delegado Futigami.

 

Também vale dizer que pelo menos 80% dos objetos que foram furtados nas residências já foram recuperados, inclusive, apreendemos em posse de Rogério uma pistola a qual ele estava portando na ocasião dos furtos.

 

Cumpre esclarecer que, com exceção de José Cleiton, os demais possuem antecedentes criminais por crimes contra o patrimônio, valendo uma ressalva quanto a José Zilvenildo, que registra antecedentes por ter atirado na delegacia de polícia de Mâncio Lima.

 (Assessoria)

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)