Publicado em 29 de agosto de 2013

Polícia Federal prende empresário, dono de farmácia e servidores em operação contra abortos

*Redação

A Polícia Federal (PF) prendeu pelo menos 6 pessoas durante uma operação contra abortos e venda ilegal de medicamentos na Cidade de Cruzeiro do Sul (AC). A operação foi desencadeada na manhã desta quinta-feira e movimentou a cidade com a presença de vários agentes federais do Acre e de outros Estados que deram apoio ao cumprimento dos mandados.

A quadrilha é formada por donos de farmácias, empresários do ramo de distribuição, servidores públicos da Saúde, enfermeiros entre outros. Também foi preso um vereador da cidade amazonense de Guajará (distante 18 km de Cruzeiro do Sul), que teria comprado um medicamento abortivo para uma jovem de 16 que estava grávida do parlamentar.

Adão da Silva Nascimento, 62 anos, dono de uma farmácia preso na manhã desta quinta (29) pela PF em Cruzeiro do Sul, acusado de vender medicamentos abortivos é pai da juíza titular da Comarca de Mâncio Lima.

De acordo com as investigações, os interessados em interromperem o processo de gestação chegavam a pagar entre R$ 600 e R$ 800 para a quadrilha. Os métodos utilizados, dependendo do tempo de gestação eram: indução, curetagem, sucção ou o uso de medicamentos abortivos como o cytotec, cujo comércio é proibido no País.

Os acusados presos nesta quinta-feira pela Polícia Federal devem responder por abortamento ilegal, com o consentimento da gestante, além de formação de quadrilha e distribuição de medicamentos prescritos. Somadas, as penas de cada acusado podem ultrapassar dez anos de prisão.

 

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)