Tragédia: médica formada na Ufac morre em acidente de trânsito em São Paulo

brenda - acidenteUma médica de Pirapora (MG) que trabalhava e morava em Franca morreu em grave acidente ocorrido em Avaré (350 km de Franca) na tarde de sexta-feira. A residente da área pediátrica Brenda Lopes Cançado Mesquita, 30, foi levada para o pronto-socorro de Avaré, que a encaminhou para a Santa Casa da mesma cidade, onde ela morreu na madrugada de sábado.

No mesmo acidente, morreu a mãe de Brenda, a bancária aposentada Jorgelita Gonçalves Lopes Cançado, 63. O pai, a irmã e o cunhado da médica estão hospitalizados. A família estava levando a médica de volta para Franca quando o acidente aconteceu. Brenda estava casada com o gerente de TI Vinicius Mesquita há pouco mais de dois meses.

De acordo com a Polícia Rodoviária de Avaré, a caminhonete (de marca Hilux) em que estava a família de Brenda aquaplanou no quilômetro 267 da rodovia João Mellão (SP-255), entre Avaré e Itaí. Em seguida, o veículo invadiu a pista contrária e atingiu outra caminhonete, de marca Mitsubishi L200 e com placa de Avaré. Com o impacto, três ocupantes do veículo atingido também morreram, totalizando cinco vítimas.

Familiares de Brenda informaram que os pais, irmã e cunhado da médica estavam levando-a de volta a Franca, onde ela trabalha como residente na ala pediátrica da Santa Casa. O pai de Brenda, o engenheiro agrônomo Eduardo Lopes Cançado, 63, está internado em estado grave na UTI em um hospital de Botucatu.

A irmã dela, a engenheira agrônoma Lorena Lopes Cançado Pantano, 32, foi colocada em coma induzido na UTI na Santa Casa de Avaré, mas está em estado estável. Já o marido de Lorena (que dirigia o veículo), o engenheiro agrônomo Jean Carlo Pantano, 32, também está internado em Avaré, mas consciente.

A mãe de Brenda e Lorena, Jorgelita (Lita, como era chamada), morreu no local do acidente.
A tia materna de Brenda, a bancária aposentada Sônia Gonçalves Barreto, informou que os corpos da residente e de Lita devem chegar neste domingo à Pirapora, cidade natal das duas. O enterro está previsto para acontecer nesta segunda-feira, às 10 horas.
Tristeza e comoção
Os familiares de Brenda a descrevem como sendo “um amor de pessoa”. “A Brenda era uma ótima pessoa, maravilhosa, batalhadora e estudiosa. A gente sentiu demais a perda dela e da minha irmã”, afirmou Sônia. Ela acrescentou que Vinicius Mesquita, marido de Brenda, estava a caminho de Pirapora na noite de sábado para aguardar a chegada dos corpos da mulher e da sogra. “Ele está muito abalado, não está em condições de falar”, afirmou.

“A Brenda era meiga e carinhosa. Era apaixonada por crianças; por isso, ela havia escolhido se especializar em Pediatria. Ela dizia: ‘Mamãe, se eu não for médica, não serei mais nada nessa vida’. Ela tentou estudar odontologia, fez um ano do curso e deixou porque não era o seu ideal. Ela também estava muito feliz com o casamento”, diz outra tia materna da médica, a funcionária pública aposentada Maria de Fátima Albernaz, que mora na Irlanda, e conversou com a reportagem do Comércio da Franca pela internet.

“Toda a cidade de Pirapora está de luto. Se você der uma pesquisada no (perfil do) Facebook da Brenda, da Lita, da Lorena, do Jean e do Vinicius, verá quantas manifestações de pesar estão postadas lá. Estão chovendo mensagens na minha caixa. Hoje tem duas estrelas a menos na terra e duas a mais no céu. Estou muito triste aqui em Dublin, e sei que que não posso me despedir das amadas Lita e Brenda.”

De acordo com Maria de Fátima, Brenda se formou no Acre em 2011, e, no começo deste ano, prestou concurso e veio para Franca trabalhar na Santa Casa. Em junho, ela se casou em Franca, na Igreja São Sebastião, com Vinicius, embora a cerimônia civil tenha ocorrido somente em setembro, em Pirapora. O casal, que namorava há cerca de dois anos, passou a lua de mel em Punta Cana (República Dominicana) em outubro. Quando voltaram, Vinicius foi trabalhar em uma construtora de Franca e Brenda ficou na casa dos pais, em Pirapora, antes de voltar para o trabalho. Na sexta-feira, os pais, a irmã e o cunhado a levariam para Franca.

(Portal GCN)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *