Tumulto e revolta marcam a chegada dos acusados pelo assassinato do taxista na delegacia

Rua interditada, segurança reforçada e policias espalhados em vários pontos. Um forte esquema foi montado em torno da Delegacia de Flagrantes para a chegada dos presos.

Desde cedo amigos e familiares do taxista Wanderley Cardoso de Almeida protestavam em frente a DEFLA. Quando as viaturas se aproximaram  ouve correria e um princípio de tumulto.

Um taxista partiu para cima do carro da polícia e teve que ser contido. O veículo que transportava os presos também teve dificuldade para chegar ao interior da delegacia.

O tumulto foi mais acentuado no portão. A polícia Militar fez um cordão de segurança. Até o BOPE foi mobilizado. Pelos menos 30 policiais entre civis e militares permaneceram no local.

Dona Dolores Melo, mãe do taxista, fez um desabafo emocionado e pediu justiça na porta da delegacia.

Auricélio Botoza do Nascimento, de 23 anos, Ariel Mailon Acácio de Menezes, Francisco de Souza Oliveira, de 19 anos, e um adolescente de 17 anos foram presos por volta das dez horas da noite de quarta-feira na Br 317, durante uma ação das policiais civil e militar de Boca do Acre.

acusados taxistaOs três, além do adolescente são acusados pelo latrocínio do taxista Wanderley Cardoso de Almeida, de 31 anos. O profissional foi vítima de uma emboscada.

Ariel Mailon – que conhecia a vítima foi quem fez o telefonema para acionar o taxista. Wanderley foi levado para a estrada de Porto Acre. No km 49 ele foi assassinado a golpes de pau, a maioria na cabeça.

Após o latrocínio – a quadrilha fugiu no veículo – em direção a Boca do Acre. No trajeto realizou mais três assaltos. O bando roubou três motocicletas, dinheiro e duas armas.

O agricultor Valmir Boaventura foi o primeiro alvo. Ele teve a casa invadida as 5h30 da manhã de quarta-feira. Os bandidos levaram vinte mil reais. Às 3h30 da tarde, a vítima foi o também agricultor Elizeu Fernando Ramos.

Em poder dos criminosos a polícia apreendeu três armas e recuperou as três motocicletas. Para a polícia não resta dúvida do envolvimento da quadrilha no latrocínio.

Segundo o delegado Carlos Bayma –  a polícia procura mais um integrante da quadrilha. A suspeita da polícia é que Francisco de Souza – ex-interno da pousado do menor – era o líder do bando.

Por medida de segurança após o interrogatório os três foram encaminhados para o presídio.

(Ecimáiro Carvalho)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *