Publicado em 30 de julho de 2018

Alunos das escolas militares realizam passeata contra as drogas e pela cultura de paz

“A paz do mundo começa em mim, se eu tenho amor com certeza sou feliz. Se eu faço o bem ao meu irmão, tenho a grandeza dentro do meu coração. Chegou a hora de a gente construir a paz, ninguém suporta mais o desamor”, diz a letra musical do artista Nando Cordel, som que que embalou a passeata promovida nesta sexta-feira, 27, pela Polícia Militar e Corpo de Bombeiros com a presença de estudantes de colégios militares de Rio Branco.

Pedindo a paz e o fim das drogas – a raiz da violência, crianças, adolescentes, pais e militares percorreram o centro da capital levando mensagem de proclamação de amor ao próximo. Além dos colégios militares Dom Pedro II e Tiradentes, o evento reuniu a banda mirim da Polícia Militar e bombeiros-mirins.

Neemias Eduardo é aluno do nono ano do Dom Pedro II, comandado pelo Corpo de Bombeiros. Durante a passeata, ele enfatizou o significado de ir às ruas com balões e cartazes fazer o apelo à sociedade. “A gente precisa mostrar que quem usa drogas não faz mal apenas a si mesmo. As drogas e a violência só levam a dois lugares, prisão ou cemitério”, disse.

Já Edri Silva tem uma filha estudante de colégio militar e fez questão de comparecer à passeata. Além de demonstrar satisfação com a disciplina imposta pela metodologia do colégio, disse serem essenciais iniciativas que conscientizem os estudantes sobre a necessidade de apregoar a paz: “É fundamental incentivar nossas crianças que estão crescendo nesse século XXI, trazendo uma nova forma de educação”.

Todos pela paz

O secretário de Segurança Pública Vanderlei Thomas participou do ato, que reforçou, sobretudo, a integração das forças militares em favor da sociedade. “Essa é uma atividade muito importante sob o ponto de vista preventivo, o que significa dizer que as forças de segurança não atuam apenas com a repressão, mas trabalham também a prevenção de males sociais, principalmente às drogas que destroem valores e famílias”, frisou.

Na oportunidade o comandante da Polícia Militar, coronel Marcos Kinpara, relembrou o êxito de ações sociais como a Banda Mirim, que envolve cerca de 140 adolescentes da capital e o Programa Educacional de Resistência às Drogras (Proerd), que só em 2017 formou mais de cinco mil estudantes em todo o estado.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Batista completou: “Somando todos os estudantes que são alcançados por projetos sociais da PM e Bombeiros, temos aqui hoje mais de quatro mil crianças sendo orientadas a dizer não às drogas, para serem multiplicadoras a respeito desse mal que só causa desagregação familiar e fomento ao crim

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)