MPAC inicia levantamento de dados sobre crianças e adolescentes desaparecidos

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) iniciou um levantamento sobre crianças e adolescentes desaparecidos em 2013. A ação faz parte do projeto ‘Reencontro: Em busca das crianças do Norte’, idealizado pelo MP do Tocantins e que teve adesão do MP acreano.

Na tarde desta quarta-feira, 14, o procurador-geral de Justiça Oswaldo D’Albuquerque reuniu-se com o coordenador da Infância e Juventude, procurador Ubirajara Braga de Albuquerque, e com os promotores Francisco Maia Guedes e Mariano Jeorge Sousa, que também atuam na área.

O projeto prevê a busca de dados e a divulgação de informações que ajudem os pais a reencontrarem seus filhos. Será feita exposição de fotos de crianças e adolescentes desaparecidos, mediante autorização da família, nas unidades do Ministério Público, como também em rodoviárias, aeroportos, entre outros locais de grande circulação de pessoas.

“Nós estamos buscando esses dados junto à Secretaria da Polícia Civil, que detém essas informações, já que, por lei, os registros devem ser feitos nas delegacias, e também vamos contar com o apoio dos promotores que atuam no interior do Estado para implementar essa campanha”, comenta o promotor Francisco Maia Guedes.

A campanha será realizada, anualmente, na Semana da Criança (6 a 12 de outubro) e, este ano, em razão da Copa do Mundo, e o grande número de pessoas que vai circular pelo país, o projeto também será executado durante todo o mês de junho.

“O Ministério Público do Acre fez a adesão porque esse projeto visa justamente fortalecer a defesa desses direitos, da dignidade da pessoa humana e a certeza de amor e paz no seio familiar”, afirma o procurador-geral.

De acordo com a Associação Brasileira de Busca e Defesa das Crianças Desaparecidas (ABCD), desaparecem a cada ano no país cerca de 40 mil crianças, sendo que, dessas, de 10% a 15% nunca mais voltam pra casa. Com o projeto, pretende-se criar um banco de dados unificado, semelhante ao que existe no site do Ministério da Justiça, mas que não inclui os estados do Acre, Tocantins, Amapá e Rondônia.

Ainda no encontro, foi apresentado um relatório com as deliberações da última reunião da Comissão Permanente da Infância e Juventude (Copeij) do Grupo Nacional dos Direitos Humanos (GNDH), realizada em Goiânia (GO), no início deste mês.


Agência de Notícias – MP/AC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *