Publicado em 12 de dezembro de 2012

Polícia Federal desmonta quadrilha que fraudava vestibulares de Medicina

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira, a Operação Calouro para desarticular uma quadrilha que fraudava vestibulares de Medicina em diversos Estados, inclusive no Acre. A operação partiu da PF no Espírito Santo

Um aluno recém-formado em medicina, pela Universidade Federal do Acre (Ufac), foi preso hoje acusado de participar do esquema para ser aprovado no curso. A prisão aconteceu no Aeroporto de Rio Branco, quando o aluno de 27 anos, que não teve o nome divulgado pela polícia, tentava embarcar para sua cidade natal, em Piranhas (GO).

De acordo com a assessoria da Polícia Federal no Acre, não existem mais mandados para serem cumpridos no Estado. O aluno preso no aeroporto, que após concluir o curso de medicina na Ufac retornava para sua cidade, não revelou o esquema da quadrilha que fraudava vestibulares de Medicina em todo país.

Em comunicado divulgado ontem, a Polícia Federal afirmou que as investigações de fraudes em vestibulares de medicina foram feitas ao longo de um ano e seis meses e, de acordo com as apurações, os grupos atuavam de duas maneiras. Em uma, um aluno bem preparado fazia a prova rapidamente e entregava seu gabarito ao líder da organização. As respostas eram transmitidas aos vestibulandos que contratavam a quadrilha por mensagens de celular, ponto eletrônico ou via radiofrequência. O “serviço” custava entre R$ 25 mil e R$ 50 mil.

As quadrilhas também falsificavam documentos de candidatos e substituía o aluno por outra pessoa no momento da prova. Nessa modalidade, o preço cobrado variava entre R$ 45 mil e R$ 80 mil.

Para realizar a operação, estão sendo empregados mais de 290 policiais federais, em 10 Estados (GO, MG, ES, RJ, SP, TO, RS, AC, MT e PI)   e no Distrito Federal. No total devem ser cumpridos 70 mandados de prisão e 73 mandados de busca expedidos pela Justiça de Vitória/ES.

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)