Publicado em 6 de dezembro de 2017

Tribunais têm 48 horas para informar holerites de todos os juízes, determina Cármen Lúcia

“Quero terminar o ano mostrando para a sociedade que não temos nada para esconder”, afirmou a ministra do STF, que também é presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

 

A presidenta do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, pretende acabar com a falta de transparência do judiciário no país. Também presidenta do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ministra deu um prazo de 48 horas, a partir desta terça-feira (5), para que todos os tribunais do país informem os holerites dos juízes. As informações foram divulgadas pela agência de notícias do CNJ.

De acordo com Cármen Lúcia, ela enviou aos tribunais no mês de outubro uma planilha para que fossem preenchidos os valores dos salários e verbas destinadas aos juízes, mas não recebeu, até agora, os dados referentes a novembro e dezembro.

Quero terminar o ano mostrando para a sociedade que não temos nada para esconder”, afirmou.

A motivação para a determinação, de acordo com a própria ministra, é que ela tentou acessar esses dados pelos sites dos tribunais e teve muita dificuldade. “Tem tribunal dificultando e isso não pode acontecer”, advertiu.

 

A dificuldade de acesso às informações imposta pelos tribunais vai contra a Lei 12.527, de 18 de novembro de 2011 – Lei de Acesso à Informação – e da Resolução n. 215, de 16 de dezembro de 2015.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

 

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)