Publicado em 16 de Maio de 2018

Famílias de vítimas acusam PM por mortes; comando nega

Ecimairo Carvalho-EcoacreTV

Um dia após o confronto ocorrido no preventório, que resultou em três mortes, o clima ainda era tenso no bairro preventório.

Uma sequência de crimes e muitas versões, na manhã seguinte ao confronto ocorrido na região do preventório, que resultou em três mortes. O clima ainda era de muita tensão entre os moradores.

No velório da estudante Maria Cauane da Silva de 11 anos, o sentimento era dor e muita revolta. A dona de casa Marlene de Paula Araújo, disse que a filha foi morta pela a Polícia Militar.

A menina ainda, recebeu atendimento – mas morreu dentro da ambulância do SAMU,  entre os familiares de Edmilson Fernandes da Silva de 38 anos, também morto no confronto o discurso era o mesmo. A esposa de Edmilson Luana Salles disse, chegou a falar com ele, pouco tempo antes.

De acordo com ela, o marido foi tirado de dentro de casa o comandante do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar, Major Assis, disse que após ter acesso a vídeos que circula em grupos.

O BOPE fez um patrulhamento na região do preventório do meio dia as 4 da tarde, em relação as acusações dos familiares da vítima. O comandante disse que quando as guarnições chegaram ao local, a criança já tinha sido baleada. Ele disse ainda, que há uma ação para atacar as forças policiais.

 

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)